3321-04-CALEBE-CAMBORIU-NOTICIAS-900x150.jpg

Professores anunciam estado de greve em Itajaí

Preocupados com o retorno presencial das aulas na rede municipal em Itajaí, os professores decidiram pelo Estado de Greve até a vacinação da classe e a partir daí retorno das aulas presenciais no município.



O que significa que a qualquer momento, a categoria pode decidir pela paralisação das atividades presenciais.


>Especialistas alertam sobre o uso de máscara em menores de cinco anos na volta às aulas


Itajaí retornou as aulas na segunda-feira (8) e a assembleia que decidiu pelo Estado de Greve foi na noite desta terça-feira (9). De acordo com Francisco Johannsen, presidente do Sindifoz (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Região da Foz do Rio Itajaí), a reunião foi um pedido da categoria.

Já na semana passada os professores se reuniram com o Sindifoz e apresentaram diversas preocupações deliberando por uma assembleia e um comunicado oficial à prefeitura.


>Confira como será o Carnaval em Balneário Camboriú


“É impossível manter o distanciamento na educação infantil, por exemplo, por isso a preocupação dos educadores, em se infectar ou contaminar os estudantes, buscamos uma segurança maior para todos”, explicou Francisco.


Ainda de acordo com o sindicalista, a categoria defende o trabalho remoto e não a paralização total. “Não queremos parar de trabalhar, queremos seguir em trabalho remoto até que a categoria seja vacinada. Então estamos pedindo para a prefeitura que reavalie as condições atuais de trabalho”, destacou Francisco.


A prefeitura afirmou que ainda não foi informada sobre o Estado de Greve e que a tarde deve decidir se haverá uma reunião com os professores ou alguma ação em relação à decisão.


O que é Estado de Greve?


De acordo com o Sindifoz, o Estado de Greve significa um alerta para a prefeitura sobre as necessidades e preocupações com a categoria, a partir da resposta do Executivo a classe irá decidir se vão parar as atividades presenciais ou não.



“É um aviso: ‘prefeitura precisamos disso’. A partir da resposta vamos decidir se iremos parar as atividades presenciais ou não. O que está decidido é que não será uma paralisação total, apenas das atividades presenciais que seguirão de forma remota, caso a decisão seja essa”, defendeu o presidente, Francisco Johannsen.


Por GRAZIELLE GUIMARÃES

whatscamboriu.png
3319 - 10 - WEB BANNER - CALEBE - 960x960.jpg