Banner - Vem K - 1040x250.jpg

Mãe denuncia creche onde filho teria sido agredido em Itajaí




Bruna Vitória Elizabete Capeletti Marx, 30 anos, acusa professora de uma creche conveniada ao município de Itajaí, de ter agredido seu filho. Ela também acusa a creche de não tomar providências ou dar qualquer retorno aos pais.


A criança tem dois anos e seis meses, e chegou em casa com o braço todo marcado por supostos apertões.


A criança está na colônia de férias na creche Recanto do Saber, no bairro Fazenda. “Logo no início da colônia iniciou uma professora nova, com a qual já havíamos tido problemas em outra escola, com o filho mais velho, pelo descaso e o descuido dela”, acusa  Bruna.


A agressão teria acontecido na quarta-feira passada. A criança frequenta a escola há um ano e meio, e na quarta-feira da semana passada, quando o pai foi pegar na escola, notou o hematoma no braço direito. Ele logo questionou a monitora, mas ela informou que não havia reparado durante a tarde”, conta.


O pai perguntou para a professora nova e ela disse que, quando chegou na creche às 13h, a criança já estava com o machucado no braço. “A coordenadora tirou foto e encaminhou para a proprietária da escola.


Na quarta à noite ainda conversei com a proprietária. A escola informou que tem fotos dele na quarta-feira à tarde sem hematomas, mas as fotos sumiram”, conta.


No outro dia, a mãe foi até a escola e foi acusada pela professora de ter provocado a demissão dela. “Nós não tínhamos certeza de quem havia feito, quando chegamos no outro dia lá, a própria escola estava demitindo a professora, pois havia fotos do período da tarde em que ele não tinha marca nenhuma.


Logo que cheguei, ela já me acusou da demissão e começou com as ofensas, chamei a PM e ela não quis aguardar”, conta Bruna.


A mãe tentou resolver o caso com a escola, mas, segundo ela, não teve retorno e decidiu denunciar o caso à imprensa. “Nós precisamos trabalhar, não temos como ficar com ele em casa”, diz, alegando que a criança segue na mesma escola.


A família registrou o boletim de ocorrência e a criança passou pelo exame de corpo de Delito. Bruna já contratou um advogado e vai processar a escola.


A secretaria de Educação informou que, assim que ficou sabendo do caso, entrou em contato com a unidade e com a mãe da criança, garantido assistência à família. “Ouvimos a mãe e lhe informamos que já estávamos tomando as medidas cabíveis em relação a unidade credenciada, efetuando abertura de processo administrativo em relação ao fato denunciado, bem como entramos em contato com o Conselho tutelar, o qual nos informou que já estava acompanhando o caso”, disse a nota da Educação.


A secretaria também ofereceu transferência pra outra unidade da rede, mas a mãe não aceitou. A secretaria ainda diz que todas as unidades credenciadas são fiscalizadas pela diretoria de Ensino Infantil e seguem as mesmas exigências da rede, tanto na alimentação e os profissionais.

3193 14 - Calebe Moreno - 960x960.jpg
3254 05 - WEB BANNER - CALEBE - 960X960