3321-04-CALEBE-CAMBORIU-NOTICIAS-900x150.jpg

Donos dos pitbulls que atacaram e mataram cães serão interrogados pela polícia Civil




A delegada Fernanda Golin Luiggi, responsável pela investigação dos pitbulls que atacaram três cachorros na terça-feira na Vila Operária, em Itajaí, vai interrogar os donos dos animais na semana que vem.


Ela também vai ouvir as vítimas: a dona dos dois yorkshires mortos pelos pitbulls e a de uma vira-lata que sobreviveu ao ataque.

A delegada não informou o dia do interrogatório. Ela disse que inicialmente foi instaurado um termo circunstando para apurar a omissão na guarda de animal perigoso, que é uma contravenção penal. “Os donos estão identificados e serão ouvidos assim como as vítimas”, informou.

Os tutores também podem responder por lesões corporais, caso alguma vítima faça o registro do boletim de ocorrência denunciando o ataque dos animais.



Mais uma vítima

M.R., dona de dois cães, ficou bastante machucada após tirar literalmente os seus cães da boca dos cachorros assassinos.

Ela contou que os dois pitbulls a atacaram no dia 3 de outubro. “Estava caminhando com as minhas duas cadelas, uma lhasa, de nove anos, e uma vira-lata de 11 meses, quando fomos atacadas pelos dois pitbulls, na rua Getúlio Vargas, bem próximo ao posto de gasolina Rodoil”, contou.

M. foi defender seus cães e acabou ferida. “Eu sofri muitos ferimentos, pois coloquei meus braços na boca deles, para evitar que matassem elas. Agi rapidamente e consegui com muita força, segurar os dois pitbulls pelo couro, arriscando a minha vida”, conta.


As cadelas de M. conseguiram fugir e o dono dos animais chegou. “Eu não chamei a polícia, pois estava sem condições emocionais e as pessoas que apenas estavam assistindo também não chamaram e não registrei ainda o BO”, conta.

M. ficou com o telefone de contato dos donos dos cachorros e está cobrando os gastos que teve, veterinário, mas até agora não conseguiu ser ressarcida.

Dez dias após o ataque a M., na terça-feira desta semana, os pitbulls mataram os yorkshires da professora Cristiane Lisboa Marinho Vitória, 36, quando ela saiu para passear na rua Duque de Caixas, com Meg, de um ano e um mês, e com o Frederico, de dois aninhos.


No mesmo dia, eles atacaram a vira-lata Yuli, de quatro anos da dentista Aline Pressotto, 31. Por sorte, populares ajudaram a mãe de Aline, que passeava com a cadelinha e ela sobreviveu aos pitbulls.



Fran Marcon

whatscamboriu.png
3319 - 10 - WEB BANNER - CALEBE - 960x960.jpg