3321-04-CALEBE-CAMBORIU-NOTICIAS-900x150.jpg

Confira - Cirurgia Refrativa procedimento que pode eliminar uso de óculos

Especialista alerta para cuidados com a visão e importância do acompanhamento de um oftalmologista de confiança


Estar em dia com a visão é necessário para uma boa qualidade de vida. Por isto, é aconselhável estar atento a doenças  neste sentido, como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia. Hoje em dia, há muitas formas de corrigir esses problemas. Uma delas é a Cirurgia Refrativa.



Quem esclarece é o médico oftalmologista, Dr. Rafael Giordani, profissional do NIO – Núcleo Integrado de Oftalmologia.


“Esta cirurgia é um procedimento considerado rápido  e seguro, que dispensa a necessidade de internação, pois é feita com um equipamento chamado Excimer Laser, que se utiliza de energia luminosa para remodelar suavemente a superfície da córnea, modificando sua curvatura para corrigir os erros refrativos”, diz.


Geralmente, pessoas com miopia, hipermetropia ou astigmatismo em um grau médio ou alto (mais de 2 graus), necessitam da correção. O procedimento poderá eliminar a necessidade de óculos, na maioria dos casos, segundo Dr. Rafael Giordani.


O que são os erros refrativos?

  • Miopia: mais dificuldade em enxergar de longe;

  • Hipermetropia: mais dificuldade em enxergar de perto;

  • Astigmatismo: dificuldade em enxergar de ambos os jeitos, longe e perto.



Classificação de graus


Para cada um destes erros, existe uma escala de graus que uma pessoa pode ter:

  • Grau baixo: 0 a 3 graus;

  • Grau moderado: de 3 a 6 graus;

  • Grau Alto: mais de 6 graus.

Os oftalmologistas seguem alguns critérios para definir se o paciente poderá fazer a cirurgia refrativa. Dr. Rafael Giordani aconselha que todos os passos sejam orientados por um oftalmologista de confiança.


Para quem é recomendada a cirurgia?

  • Pacientes maiores de 18 anos;

  • Pessoas que querem diminuir a dependência de óculos ou lentes de contato;

  • Quem tem o grau já estabilizado;

  • Pessoas que não possuem nenhum tipo de doença ocular;

  • Quem possui algum problema de refração (miopia, hipermetropia ou astigmatismo).

A importância de um acompanhamento profissional



Ainda, Dr. Rafael Giordani explica que, quem passa pelo procedimento precisa, necessariamente, aceitar os riscos envolvidos e os efeitos colaterais que podem ocorrer. “Não é uma cirurgia perigosa ou preocupante, mas podem ocorrer efeitos colaterais que são tratáveis após a cirurgia”, esclarece.


Outro alerta do profissional é que, mesmo com a cirurgia refrativa, pode ocorrer de o paciente ainda poder precisar utilizar óculos ou lentes de contato para melhor resultado e aproveitamento da visão.


“Por isso, reforçamos que, para identificar qual o melhor tipo procedimento, é importante o acompanhamento de um Oftalmologista de sua confiança”, diz Dr. Rafael.



Sobre o profissional


O médico oftalmologista Rafael Giordani é graduado em Medicina pela Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre. É membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia.


Tem título de Especialista pela Associação Médica Brasileira e Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Fellowship em Córnea pela Universidade Federal do Paraná, também é especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal Fluminense.

RAFAEL GIORDANI – Oftalmologia – CRM/SC 14665 / RQE 7513

  • Ed. Koerich Beiramar Office – Av. Mauro Ramos, 1970 – sala 208, CEP 88020304, Centro – Florianópolis, SC

  • (48) 3012-4512 / (48) 99161-6688

  • Av. Barão do Rio Branco 461, CEP 88130-101, Centro – Palhoça, SC

  • (48) 3242-7788

whatscamboriu.png
3319 - 10 - WEB BANNER - CALEBE - 960x960.jpg