Banner - Vem K - 1040x250.jpg

Bandido que assassinou PM no Paraná, e esposa são mortos pelo grupo Tático (PPT), em Camboriú

Felipe Ribeiro, conhecido pela alcunha de "pepa" estava foragido da justiça do Paraná. Na noite desta quinta-feira (25), na rua Coqueiros, no bairro Tabuleiro, por voltas das 19h55, ele e a esposa foram abordados, reagiram a prisão, e entraram em confronto com grupo Tático (PPT), de Camboriú, e foram mortos.

A Polícia Militar de Camboriú, recebeu informações da Polícia Militar do Paraná, de que o autor do homicídio no ano de 2016 contra uma policial estava foragido no bairro Tabuleiro.


De posse dessas informações e do mandado de prisão do foragido, os policiais militares se deslocaram para o local onde o homem estaria escondido. Ao se aproximarem, foi possível identificar Felipe, que estava do lado de fora, sendo que este, ao visualizar os policiais, empreendeu fuga para dentro da residência, sendo momentaneamente acompanhado.

Ato contínuo, os Policiais Militares foram surpreendidos pelo homem e uma mulher, ambos armados, com uma pistola CZ e um revólver Cal 38, quando ocorreu o confronto e morreram no local.


Os militares acionaram o SAMU para prestar atendimento, bem como o IGP foi acionado para perícia no local.

Os dois tinham passagens criminais. A mulher tinha passagens por roubos e sequestro, e ele "pepa" passagens por homicídio e Roubo.


RELEMBRE O CASO


Bárbara Aline Gonçalves da Rocha na véspera do Natal de 2016, estava em uma loja de pesca em Pinhais, na Região de Curitiba.

Felipe Ribeiro Leite, o "pepa" chegou, tomou a arma da soldado e atirou duas vezes no rosto dela. Depois de matá-la, fugiu de carro. Câmeras de segurança registraram o crime.

Além de Felipe, um homem e uma mulher são acusados de participação no crime. Eles chegaram a ser presos no mesmo dia que Felipe, em Guaratuba, no litoral do Paraná, mas, agora, respondem em liberdade.

Felipe é acusado de homicídio duplamente qualificado e roubo.

De acordo com a Polícia Militar (PM), um mês antes de ser morta, Bárbara, de 24 anos, impediu um assalto deles e matou um dos comparsas do trio durante uma troca de tiros.


Ainda conforme a polícia, o trio sondou a loja de pescas momentos antes do crime. Eles entraram, compraram fogos de artifício e pagaram com o cartão de crédito de um deles.


Meia hora depois, Felipe, à época com 25 anos, voltou e abordou a PM, que estava de folga e a matou a sangue frio.


Momento em que policial militar leva tiros em Pinhais na Frande Curitiba, em 2016, e morre.


3254 05 - WEB BANNER - CALEBE - 960X960