Agentes de combate às endemias iniciam vistorias nas Praias Agrestes




Esta semana, os agentes do Programa de Combate à Dengue visitarão os imóveis e terrenos das Praias Agrestes de Balneário Camboriú. A ação se dá para eliminar os criadouros do mosquito Aedes Aegypti.


Com agentes causadores de doenças graves em circulação, como a dengue e covid-19, existe a possibilidade de infecção com os dois vírus simultaneamente. Por isso, os cuidados relacionados à eliminação dos criadouros do mosquito Aedes Aegypti são essenciais neste momento de pandemia.


Contrair as duas doenças ao mesmo tempo pode ser perigoso, pois são dois vírus diferentes agredindo o organismo, o que pode potencializar a sintomatologia de ambas as doenças, ou seja, agravar os sintomas.


“Os respiratórios são mais comuns na covid-19, porém os sintomas da dengue podem causar alteração na resposta imune do indivíduo e facilitar a instalação de infecções secundárias. Por isso, quem apresentar qualquer tipo de sintoma deve procurar uma unidade básica de saúde para avaliação”, afirma a médica veterinária, Dra. Fabiana Ribeiro.


A infectologista, Dra. Leticia Ziggiotti, complementa que “o tratamento é sintomático em ambas enfermidades e depende do quadro clínico e laboratorial do paciente. Por isso, é importante a avaliação de cada caso individualmente”.


Dengue em Balneário Camboriú


Há duas semanas, Balneário Camboriú não registra aumento no número de casos da doença, que permanece em 256. Deste total, 200 são autóctones (contraídos dentro do município), 54 indeterminados e dois casos são importados (contraídos fora da cidade).


Ao todo, são 817 focos do mosquito Aedes Aegypti. Os bairros Centro (217) e Nações (84) são os que mais possuem focos do inseto. Em seguida estão: Nova Esperança (67), Barra (65), Ariribá (57), Estados (53), Municípios (39), Amores (36) e Vila Real (33).

whatscamboriu.png