Banner - Vem K - 1040x250.jpg

Órgão federal investiga pescadores que amputaram cauda de Baleia Jubarte



Imagens que circularam nas redes sociais neste fim de semana mostram uma baleia que teve a cauda decepada por pescadores. O caso é investigado pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICM-Bio), e a apuração preliminar indica que 𝑜 𝑐𝑎𝑠𝑜 𝑡𝑒𝑟𝑖𝑎 𝑜𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑑𝑜 𝑛𝑜 𝐿𝑖𝑡𝑜𝑟𝑎𝑙 𝑑𝑒 𝑆𝑎𝑛𝑡𝑎 𝐶𝑎𝑡𝑎𝑟𝑖𝑛𝑎. A embarcação envolvida seria de Itajaí. Caso fique comprovado que o corte foi feito intencionalmente, os pescadores responderão por crime ambiental.


No vídeo, os pescadores dão a entender que a baleia teria enroscado na embarcação, e o animal poderia virar o barco. “Escapou de botar o barco no fundo”, afirma um deles. O pesquisador Jules Soto, curador do Museu Oceanográfico da Univali, em Balneário Piçarras, diz que um animal como o que aparece nas imagens não teria condições de virar a embarcação. Ele identificou a baleia como uma jubarte, espécie que passa pelo Litoral catarinense em seu ciclo migratório, e está entre as mais protegidas do mundo. O espécime, segundo o professor, parece ser jovem.

- A gente imagina que ela tenha se enroscado nos cabos de tração, eles vão se fechando e a reação da baleia é girar para tentar se libertar. De forma alguma uma baleia daquele tamanho coloca um barco daquele a pique. Há uma desproporção muito grande de massa – explica. Segundo Soto, a decisão de amputar a cauda trará problemas para os pescadores, e levará a baleia à morte.


- É uma atrocidade. É um animal protegido por lei, tem que danificar o petrecho de pesca (para soltá-la). Isso é um problema da empresa de pesca, de forma alguma tem que ser problema da baleia, viva, naquela condição. O resultado é um desastre para os pescadores, que vão ter que responder por isso, e também para a baleia.

O pesquisador explica que a cauda é o instrumento de tração das baleias, o que permite que elas se movimentem livremente. Sem a nadadeira, a jubarte ficará à deriva, carregada pelas correntes marítimas. Poderá encalhar em alguma praia, ou morrer por não conseguir mais se alimentar.

3193 14 - Calebe Moreno - 960x960.jpg
3254 05 - WEB BANNER - CALEBE - 960X960